rss
twitter
    Saiba o que estou fazendo, siga-me:)

Pague o mal com o bem

É, concordo que muito se escreve sobre o amor. O que ninguém escreve é sobre o que é amar.
Amar é engolir a seco aquelas 'viagens' sobre confusão, sobre não te entender. É também, ter que ficar calado durante a maior decepção da tua vida, com esperança de que de certa forma as coisas voltem ao seu devido lugar.
É ir dormir pensando em alguém que não tá nem aí pra ti, se tu tá bem, mal, enfim.
É acordar, imaginando que o novo dia será melhor que o ontem, e com esperança que as coisas voltem a ser como antes.
É ficar calado diante de uma situação onde são usados dois pesos e duas medidas.
Resumindo, em uma frase: amar é ser perfeito em tudo, até com aquela pessoa que não tá nem aí se tu tá vivo ou não.
Vai e faz o que quiser. Hoje aqui, amanhã não se sabe.
O amor que eu plantei, vou colher. O que tu plantou, tu vai colher.

Pra finalizar,
Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor.
O pior erro é não tentar. Vai morrer com a eterna dúvida de como teria sido. ;)

Ações que desencadeiam outras ações

Hoje, viajando, literamente, fiquei a pensar sobre as nossas ações do dia-a-dia.
Abstraindo e elevando o pensamento sobre isso a um nível filosófico, analisando cada ação/decisão tomada, como é engraçada e trágica, as vezes, o que nós acabamos de desencadear.
Fiquei refletindo sobre uma discussão que tive segunda-feira, sobre uma decisão que tive que tomar na sexta-feira, errada, mas que acarretaram em outras, erradas também, mas não da minha parte.
Isso acaba me fazendo refletir sobre o Princípio das Incertezas, algo relacionado com a Mecânica da Física Quântica, onde não temos um único resultado, e sim inúmeras possibilidades de como provavelmente seria algo.
Agora, fazendo uma análise mais simples da coisa, seria certo eu ser julgado com o único culpado, pelas outras decisões erradas tomadas por outras pessoas? Eu acho que não.
É, eu errei. Mas não é justo eu levar TODA a culpa por decisões QUE NÃO FORAM tomadas por mim.