rss
twitter
    Saiba o que estou fazendo, siga-me:)

O genocida vem aí


ahmadinejadBruno Pontes lembra: Lula já declarou que Ahmadinejad é "um irmão". E interceptação de um navio com destino a Síria, para ser entregue ao Hezbollah, com 500 toneladas em armas o confirma. No navio, havia armamento brasileiro, como informa o jornalista Políbio Braga.
A Marinha de Israel interceptou terça-feira passada, a 160 quilômetros de sua costa, um navio carregado com 500 toneladas de armamento - cerca de nove mil bombas, três mil foguetes Katyusha, vinte mil granadas e mais de 500 mil balas, entre outros objetos. Segundo a inteligência israelense, as armas seriam entregues à Síria, que as entregaria ao Hezbollah no Líbano. O Hezbollah é uma organização terrorista cujo objetivo é matar o maior número possível de judeus e destruir Israel.
Quem forneceu as armas encontradas no navio? Quem é o responsável por equipar o Hezbollah e o Hamas? Daqui a alguns dias, o homem por trás dos carregamentos será recebido em nosso país com tapete vermelho. Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã. O psicopata que deseja apertar o botão do segundo holocausto judeu. Do primeiro holocausto, na visão dele.
Parlamentares do PT, do PC do B, do PSOL, professores universitários anti-Israel e jornalistas que prestam assessoria ao Hamas deveriam recepcionar Ahmadinejad no aeroporto com beijos e abraços. Durante a operação Cast Lead, quando Israel reagiu a oito anos de chuva de foguetes lançados pelo Hamas a partir da Faixa de Gaza, o discurso de Ahmadinejad foi endossado com entusiasmo por nossos esquerdistas radicais e idiotas úteis. Exigiam a rendição de Israel aos seus carrascos e igualavam os israelenses aos nazistas. Foi o que fez o PT em nota publicada no site do partido.
Lula já declarou que Ahmadinejad é "um irmão". Não, me confundi. Lula chamou de "irmão e líder" outro ditador carniceiro, Muammar Kadafi. O que Lula disse a respeito de Ahmadinejad foi que ele, Lula, não é "obrigado a não gostar de uma pessoa porque o outro não gosta. O Brasil tem sua soberania". O Brasil é soberano para fazer aliança com um genocida. Viva, viva!
Quando Ahmadinejad estiver aqui assinando papéis com Lula e servindo de escada para rompantes nacionalistas e amorais do nosso presidente soberano, tenha em mente que o iraniano é um dos motores da jihad contra o mundo livre. Ahmadinejad é agente de influência global e vem marcando posição na América Latina, na base de antiamericanismo, patrocínio a grupos terroristas e ódio mortal aos judeus e a Israel, a única democracia do Oriente Médio, o pequeno país cercado de inimigos por todos os lados.

Vejam os presentinhos que o Hezbollah receberia do amigo de Lula. Vídeo publicado no canal das Forças de Defesa de Israel no Youtube:


Artigo publicado no jornal O Estado

Bruno Pontes é jornalista - http://brunopontes.blogspot.com
* * * * *

Nota da editoria do MSM - Segue o artigo de Políbio Braga sobre o que a imprensa omitiu: no navio que levava armas para o Hezbollah, uma considerável parte do armamento é de origem brasileira.

Atenção - Navio iraniano abordado por Israel tinha armamento brasileiro para o Hezbolah

A mídia internacional e brasileira chegou a divulgar a informação de que as Forças de Segurança de Israel apreenderam o navio iraniano Francop no Golfo de Omã, carregado de armamentos, sob o disfarce de mercadorias comuns enviadas para Teerã pela Síria (o navio ainda passou pelo porto egípcio de Damietta, onde agentes americanos perceberam a carga). Irã, Egito, Síria e o Hezbolah (aos terroristas destinava-se a carga) negaram tudo. O noticiário, com informações escassas, foi publicado nos dias 4 e 9 de novembro.

O que a mídia não informou: boa parte do armamento é de origem brasileira, como se percebe na foto que você verá a seguir. A foto integra um conjunto de outras fotos e videos da operação de apreensão. A abordagem do navio em águas internacionais não foi registrada em fotos e videos, mas a operação militar teve cobertura logística americana.

O editor recebeu a informação neste final de semana,manteve contatos com São Paulo, Brasília e Tel Aviv em busca de confirmação. Antes de publicar esta nota, o editor também vasculhou a clipagem de outras publicações do dia e percebeu que nenhuma das notícias referiu-se à existência de armamento brasileiro na carga do Francop.

Este incidente internacional é muito mais grave do que parece. Afinal de contas, neste mês de novembro, o Brasil recebe dois inimigos localizados justamente na área: Israel e Irã. São os dois protagonistas principais desse ainda não explicado caso de armamentos brasileiros destinados pelo Irã aos terroristas do Hezbolah.

O governo brasileiro deve explicações e precisa pedir explicações ao Irã. Aliás, neste final do mês, o presidente iraniano Ahmanidajad visitará Lula. Esta será uma boa oportunidade.

CLIQUE a seguir para ler a reportagem completa: http://www.owurman.com/blog/
Examine o video:


0 comentários: