rss
twitter
    Saiba o que estou fazendo, siga-me:)

No fim, todos somos iguais

Me flagrei mais uma vez analisando e pensando sobre o comportamento humano. Não sei o porquê de eu ficar intrigado com isso, mas realmente, fico incomodado sobre certas coisas.

Não quero me prolongar muito nesse post, serei bem objetivo, e vou compartilhar algumas questões que eu gostaria de ter resposta:
  • Qual é a importância do dinheiro na minha vida?
  • O montante disponível para gasto/consumo me faz melhor que você?
  • O meu valor/status social é definido pelo meu montante disponível?
Na boa, só tenho a lamentar por quem entrega a vida a alguém com esperanças de condicionar oportunidades melhores. Primeiro, porque quem faz isso é um incapaz. E não venha me dizer que pra ter uma formação decente precisa de dinheiro. Por incrível que pareça, os cursos mais conceituados não são os das universidades particulares, e sim os que funcionam nas precárias estruturas das universidades mantidas pelo governo.

Só Deus sabe o que eu queria escrever aqui pra expressar a minha indignação com a mentalidade de algumas pessoas, mas por motivos óbvios não irei aprofundar os pensamentos.

Eu adoro a palavra hipocrisia. Não tem palavra melhor pra definir as infinitas relações interpessoais baseadas nos interesses financeiros e de status social. Isso é que é hipocresia, amar alguém proporcionalmente a quantidade de imóveis, automóveis, salário mensal e por aí vai.

E sabe, tudo isso é uma questão de condicionamento. Essas pessoas são umas infelizes, estão "presas à matrix". Estão paralisadas em uma perspectiva, a perspectiva do dinheiro.

Olhem pela perspectiva de um andarilho. O cara vive andando pra lá e pra cá, sem dinheiro, vive basicamente pra comer e caminhar, não tem preocupação com o que vai acontecer amanhã, com trabalho, com o soldo mensal. É alguém que se livrou da matrix.

E no fim das contas, todos somos iguais, porque quando morrermos, independentemente de ser um juiz ou um andarilho, nossos corpos voltarão ao pó, e o que em uma vida ajuntamos, de nada valerá do outro lado do túnel.

4 comentários:

Marli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luísa Gabellieri Hintz disse...

Gostei :D

Hugo disse...

Pior é tentar estabelecer um critério objetivo da meritocracia..

Enfim, não acho que somos todos iguais, mas sipah depis faço um post disso, pq renderia muito..

Misael B. Silveira disse...

A igualde que me refiro é de que somos compostos pela mesma matéria, não de que somos iguais biologicamente...